Escolha uma Página

Quem nunca soprou uma flor dente-de-leão? Quando eu era criança vivia procurando essa flor nos jardins para poder soprar e ver suas pétalas voarem pelo ar.

A bíblia fala que “a vida do homem é semelhante à relva; ele floresce como a flor do campo, que se vai quando sopra o vento e nem se sabe mais o lugar que ocupava” (Salmo 103.15-16).

Deus não faz acepção de pessoas, ele não condena pobre ou rico pelas suas condições, mas na bíblia há muitas passagens que alertam os ricos que se tornam opressores. O que faz um ser humano em melhores condições financeiras oprimir outro em condições menos favoráveis? Certamente é o amor ao dinheiro.

“Nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar, por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos. Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilha e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos” (1Timóteo 6.7-10).

Como disse Davi no Salmo 103, nossa vida é passageira. É como o dente-de-leão que cresce e quando sopra o vento, acaba-se. Por isso tanto pobres quanto ricos devem ser humildes, conscientes de si mesmos. Isso nos faz pequenos diante de um Deus tão grande. Muda a nossa visao, nos faz deixar de olhar para nós mesmos, nosso pequeno mundo e nos faz enxergar o Reino de Deus que é eterno.

“Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos cues onde a traça e a ferrugem não destroem e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração” (Mateus 6.19-21).