Escolha uma Página


Você já reparou como algumas pessoas discursam contra a corrupção dos políticos no Brasil, mas acabam se corrompendo nas atividades do dia-a-dia? Acusam os “ladrões de Brasília”, mas furam filas, sonegam impostos e usam o jeitinho brasileiro para tirar proveito em algumas situações. Ou mesmo algumas empresas que adotaram um discurso ecológico para ganhar clientes, mas não mudaram seus hábitos para preservar o planeta. Seu discurso é correto, mas falam “da boca para fora”.

Tiago é incisivo ao dizer em sua carta “A fé sem obras é morta”.
“Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: ‘Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se’, sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta” (Tiago 2.15-17).
Dar assistência aos necessitados é parte das atribuições dos cristãos. Jesus mesmo agiu assim quando viveu como homem na terra.

Porém o ensinamento de Tiago não terminou nesse versículo. Ele ainda citou exemplos de Abraão e Raabe. “Não foi Abraão, nosso antepassado, justificado por obras, quando ofereceu seu filho Isaque sobre o altar? Você pode ver que tanto a fé como as obras estavam atuando juntas, e a fé foi aperfeiçoada pels obras. Cumpriu-se assim a Escritura que diz: ‘Abraão creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça’, e ele foi chamado amigo de Deus. Vejam que uma pessoa é justificada por obras, e não apenas pela fé. Caso semelhante é o de Raabe, a prostituta: não foi ela justificada pelas obras, quando acolheu os espias e os fez sair por outro caminho? Assim como o corpo sem espírito está morto, também a fé sem obras está morta” (Tiago 2.21-26).

Aqui Tiago não está mais falando de assistencialismo. Ele fala de atitudes que demonstram a nossa fé. É como pôr em prática aquilo que falamos e cremos. Sem atitudes, nossa fé é morta e nossa palavra vazia.

Abraão tinha Deus como Senhor de sua vida, e quando foi colocado à prova não hesitou em entregar seu único filho. Ele amava a Deus sobre todas as coisas e agiu de acordo com sua fé levando Isaaque para ser sacrificado (Gênesis 22).

Já a prostituta Raabe morava em uma terra que seria ocupada pelos israelitas, ela não fazia parte do povo de Deus, mas cria e confessou sua fé aos espias. “Sei que o Senhor lhes deu esta terra… o Senhor, o seu Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra” (Josué 2.8-11). Ao escondê-los em sua casa, Raabe agiu conforme sua fé. Ela sabia que o Deus dos israelitas era Senhor, e fez de tudo para ajudar aqueles que o serviam.

Acho que a lição que Tiago quis nos ensinar é muito mais profunda do que somente fazer boas obras. O que aprendi de Tiago hoje, é que devemos agir como cremos, pôr em prática o cristianismo que tanto defendemos. Não existe fé só de palavras, não dá pra ser cristão só da boca pra fora. Se cremos em Deus, nossas atitudes têm que demonstrar a nossa fé. E isso é muito mais profundo.

“As boas obras são tais que um homem não pode ser justificado por elas nem sem elas”. João Calvino