Escolha uma Página

Ela acordou e sentou-se na cama. Precisava seguir, tinha que encontrar forças para viver mais um dia. As últimas semanas tinham sido tão difíceis! Parece que o mundo resolveu virar as costas para ela e pela primeira vez, ela se sentiu só. Queria chorar, gritar, pedir socorro, mas não tinha forças, foi a nocaute no terceiro round. Um problema só era pouco, parecia que tudo tinha dado errado. Problemas em casa, no emprego, com os filhos, conflitos pessoais e agora uma doença. Ela precisava de ajuda, mas não conseguia nem levantar da cama naquela manhã.

Virou para o lado e viu o criado mudo. Hoje aquele amigo quieto queria falar. Embaixo dos livros ela viu um caderno empoeirado. O caderno era seu, mas há muito tempo não o via. Quando foi mesmo a última vez que o abri?, ela pensou. Abriu e folheou algumas páginas. “Muito obrigada Senhor! Obrigada por ter salvo meu irmão da morte naquele acidente! Maio/1989”. Pulou algumas páginas e leu: “O Senhor é meu pastor e nada me faltará. Hoje vi que esse versículo é verdadeiro quando Deus proveu o dinheiro que faltava para pagar a prestação da casa. Janeiro/1993”. Ela se ajeitou na cama, seus olhos saltaram e ela começou a ler outra página. “Deus é Deus do impossível. Ele curou meu filho de uma doença inexplicável. Os médicos ficaram boquiabertos e tiveram que reconhecer que realmente somente Deus poderia tê-lo curado. Aleluia! Setembro/1995.” “Obrigada pela chuva de hoje. Ela aliviou a bronquite da minha filhinha. Obrigada por se importar com as pequenas coisas também, Senhor. Julho/1996.”

Ela se animou e leu páginas e páginas nos minutos seguintes. Tinha se lembrado do que era aquele caderno. Há muitos anos tinha decidido colocar no papel os “presentes” que recebia em sua vida. “O homem tem memória curta”, ela dizia, “Não quero ser ingrata com Deus”. E ao ler algumas frases ela lembrou de tudo pelo que já havia passado e de tudo o que Deus havia feito por ela. Começou a ler em voz alta os versículos que tinha escrito ali. “O Senhor é bom e o seu amor leal é eterno; a sua fidelidade permanece por todas as gerações (Salmo 100.5); “Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre prsente na adversidade (Salmo 46); “Eu porém, confio em teu amor, o meu coração exulta em tua salvação. Quero cantar ao Senhor pelo bem que me tem feito (Salmo 13. 5-6)”.

Lágrimas rolaram pelo seu rosto. Os acontecimentos dos últimos dias fizeram com que ela se esquecesse do poder de Deus, do poder da oração. Tiago disse “Entre vocês há alguém que está sofrendo? Que ele ore. Há alguém que se sente feliz? Que ele cante louvores… a oração de um justo é poderosa e eficaz” (Tiago 5.13,16).

E então ela orou. De coração, com convicção, com fervor. E o Senhor ouviu.

“Bendiga o Senhor a minha alma! Não esqueça nenhuma de suas bênçãos!” Salmo 103.2