Escolha uma Página

Passamos o domingo numa chácara em Boituva e aproveitamos para conhecer o Centro Nacional de Paraquedismo.

Não juntei coragem suficiente para saltar de pára-quedas, mas quis conhecer de perto essa aventura. Eu, a Milena e o Roberto voamos como “peru”. O “peru” acompanha todo o vôo ao lado do piloto, sentado ao lado dele ou lá atrás junto com os paraquedistas.

Foram 16 pessoas no avião contando com o piloto. No total são 8 minutos de vôo. Ele vai subindo devagar até atingir 12.000 pés (aproximadamente 4 km). Dá pra apreciar a paisagem da região, que é bem bonita.

Quando chega lá em cima, desliga o motor, abre a porta e os doidos começam a saltar, em dupla ou sozinhos. Quando o dia está nublado a sensação que se tem é a de saltar sobre um colchão de nuvens.

Depois que todos saltam, o avião desce de bico muito rápido, com a porta aberta (não tem mais ninguém pra fechar!). Os “perus” que vão lá trás são presos apenas por uma perna! Se já é emocionante subir e descer de avião, imagine saltar de pára-quedas!

Quem sabe da próxima vez vou de “águia”, afinal, “peru” não voa.