Escolha uma Página

Por um acaso do acaso, um dia desses dormi no meu antigo quarto, na casa dos meus pais. Ao deitar na minha velha cama, mil imagens passaram pela minha cabeça. Quantos anos haviam se passado e quantas coisas aconteceram nesse espaço de tempo! Lembrei das músicas que ouvi ali, dos livros e cadernos espalhados pela cama, lembrei da minha adolescência, das vezes em que chorei e ri pensando na vida! Lembrei também do que veio depois: das vezes em que deitada na cama li a bíblia, e me emocionei ao lembrar das inúmeras vezes em que “ela falou comigo”. Quanta coisa havia mudado! Uma nova vida se formou, eu nunca mais seria a mesma. Aliás, o que seria de mim hoje se não fosse aquele encontro com Deus na minha antiga casa, no tempo em que ainda era solteira?

Não por um acaso eu estava às vésperas da Páscoa fazendo essa reflexão. Pois então, o que é a Páscoa? Tem uma música do João Alexandre que diz:

“Eu sei o sentido do Natal, 

Pois na história tem o seu lugar, 

Cristo veio para nos salvar, 

Mas o que Ele é pra mim?”

Com a Páscoa não é diferente, a maioria das pessoas conhece, sabe o que é, alguns não comem carne, outros comem chocolate, mas afinal, o que ela significa para você?

Páscoa significa passagem da escravidão para a liberdade. Foi assim no tempo de Moisés, quando Deus libertou os israelitas da escravidão no Egito e desde então o povo judeu passou a comemorar a Páscoa anualmente.

A morte de Jesus aconteceu durante a Páscoa judaica. Como diz o ditado: “para morrer, basta estar vivo”. A morte é a única certeza para todos nós e por isso causa tanto medo. Ninguém gosta muito de pensar em morte, apesar de certa, ela traz insegurança e medo, e o medo nos escraviza, nos tira a liberdade de viver.

Como qualquer ser humano, Jesus morreu, mas como nenhum outro, Ele teve poder sobre a morte, ressuscitando dias depois.

O historiador e médico Lucas relatou no livro de Atos que “depois do seu sofrimento, Jesus apresentou-se a eles e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo. Apareceu-lhes por um período de quarenta dias falando-lhes acerca do Reino de Deus” (Atos 1.3).

Paulo escreveu em sua primeira carta aos Coríntios que “Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia, segundo as Escrituras, e apareceu a Pedro e depois aos Doze [apóstolos]. Depois disso apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez, a maioria dos quais ainda vive, embora alguns já tenham adormecido. Depois apareceu a Tiago e, então, a todos os apóstolos; depois destes apareceu também a mim, como a um que nasceu fora de tempo” (1Coríntios 15.3-8).

Não era um fantasma, um espírito pairando no ar. Jesus ressuscitou mesmo, da morte voltou à vida. O fato é que a ressurreição de Jesus não valeu apenas para Ele. Esse presente é dado a todos aqueles que confiam e descansam em Jesus. Aquele que venceu o maior dos medos (morte) nos dá a vida eterna e nos ajuda a viver diariamente completamente LIVRES.

Livres da morte, livres de nós mesmos, livres do pecado, livres de culpa, de preconceito, de amargura, livres do passado… LIVRES!

Páscoa pra mim é sinônimo de liberdade! Ao lembrar da minha conversão, ali naquele quarto, eu celebrei mais uma vez a Páscoa de Jesus e agradeci pela liberdade que o Senhor conquistou pra mim!

E você, é livre?

“Ninguém é mais escravo do que aquele que se julga livre sem o ser” (Von Goethe)

Aline Cândido