Escolha uma Página

Pecado não é só problema meu! Deixe-me explicar melhor a frase. O que quero dizer é que os meus atos tem consequências para mim, para o próximo e para com Deus. Por isso, pecado não é só um problema meu!

O pecado traz problemas para os relacionamentos. Tudo era um mar de rosas no Jardim do Éden, podemos dizer que lá era um paraíso! Deus fez nascer do solo todo tipo de árvores agradáveis aos olhos e boas para alimento. Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo. E o Senhor Deus ordenou ao homem: ‘coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá’ (Gênesis 2.9,15-17).

A vida era perfeita lá pras bandas do Éden. A terra era fértil e dava bons frutos, e Adão tinha uma companheira “supimpa”. Posso até ouvir Adão exclamar suspirando de amores: ‘Esta sim é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada mulher porque do homem foi tirada’ (Gênesis 2.23).

Tudo ia bem até que… eles pecaram. Pecar é errar o alvo, desobedecer, e isso traz consigo muitas consequências.

Consequências para eles

O salário do pecado é a morte. (Romanos 6.23)

Deus disse que no dia em que comessem daquele fruto, morreriam. No hebraico, a expressão “você morrerá” significa “morrendo você morrerá”. Em outras palavras, um processo de morte se iniciou. A ciência descobriu que a morte é  um processo que começa na concepção. Dentro de cada célula, no final da cadeia de DNA, existem pequenos pedaços chamados telômeros. Em cada divisão da célula se perde um telômero. Por fim, acabam-se os telômeros e a célula morre.

Além da morte, Adão e Eva receberam castigos individuais (leia mais abaixo).

Consequências para o próximo

A harmonia, intimidade e o fato de se completarem perfeitamente antes da queda foram corrompidos pelo pecado e distorcidos pelo castigo que receberam.

À mulher, [Deus] declarou: ‘Multiplicarei grandemente o seu sofrimento na gravidez; com sofrimento você dará à luz filhos. Seu desejo será para o seu marido e ele a dominará’ (Gênesis 3.16).

Para esta última frase também há a tradução “o seu desejo será contra o seu marido e ele a dominará”. As expressões utilizadas neste versículo sugerem que o desejo da mulher é o de dominar, e começa aí uma batalha entre os sexos.

Antes da queda homem e mulher andavam lado a lado, eram iguais e a convivência era harmônica. Não era preciso que um dominasse o outro.
O pecado portanto não afetou apenas Eva e Adão individualmente, mas também prejudicou o relacionamento de um com o outro.

A relação do homem com a terra também mudou por causa do pecado. Visto que você deu ouvidos à sua mulher e comeu do fruto […] maldita é a terra por sua causa; com sofrimento você se alimentará dela todos os dias da sua vida. Ela lhe dará espinhos e ervas daninhas […] (Gênesis 3.17-18).

O que antes era prazeroso passa a ser difícil e doloroso. A mulher é frustrada no seu relacionamento dentro do lar e experimenta dores até num momento de grande realização (ter filhos). O homem é frustrado na sua atividade para prover alimento e a vida torna-se árdua.

Consequências para com Deus

O jardim era um local reservado para que o homem vivesse feliz ao lado de Deus. Adão e Eva ouviam Deus, conviviam com Ele. Diz a bíblia que Deus andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia (Gênesis 3.8).

Por consequência do pecado ambos foram expulsos do jardim do Éden, expulsos da presença de Deus.
Isso deve ter sido angustiante para Adão e Eva. Até hoje podemos observar como é ruim viver longe de Deus. Mas a decisão de expulsá-los deve ter sido dolorida para Deus também – afastar de si “a menina dos seus olhos”, a maior de suas criações, não era uma tarefa fácil, porém necessária. Deus não os desamparou e até a expulsão deles foi uma forma de proteção.

Então disse o Senhor Deus: ‘agora o homem se tornou como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Não se deve, pois, permitir que ele tome também do fruto da árvore da vida e o coma, e viva para sempre’ (Gênesis 3.22).

Em outras palavras, Adão e Eva foram protegidos de uma eterna escravidão ao pecado e desgraça que resultaria se eles comessem da árvore da vida.

O restante da história você já conhece. O pecado no Éden foi o início de todos os males que cercam a nossa vida e principalmente a família até os dias de hoje.

Exterminar o pecado, pedir perdão e se reconciliar (com Deus e com o próximo) é sem dúvida o único caminho para ‘voltar ao jardim’.

Referências bibliográficas:
Bíblia Evangelismo em ação – Nova versão internacional
Bíblia de estudo de Genebra – Tradução João Ferreira de Almeida


Aline Cândido