Escolha uma Página

Você já questionou a justiça de Deus? Então você não é o único.

Afinal, se Deus é justo, porque vemos tanta gente ruim se dando bem? A justiça parece estar do lado dos que são espertos, que dão um jeitinho pra tudo, que não se importam com o próximo e passam por cima de todos para realizar suas maldades. Vemos o assassino solto enquanto o homem correto é preso injustamente. Vemos o ladrão se dando bem enquanto rouba os bens de um honesto trabalhador. Vemos pessoas boas sofrendo enquanto os maus vivem muito bem, obrigada! Afinal, cadê a justiça?

Foi a mesma pergunta que o profeta Jeremias fez a Deus:
“Ó Senhor Deus, se eu discutisse esse meu caso contigo, tu provarias que estás com a razão. Mas eu preciso te fazer algumas perguntas sobre a tua justiça. Por que os maus ficam ricos? Por que os desonestos conseguem sucesso? Tu os plantas, e as suas raízes se firmam; eles crescem e produzem fruto. Vivem sempre falando bem de ti, mas na verdade não se importam contigo. Mas tu, ó Senhor, me conheces; tu vês o que estou fazendo e sabes como te amo. Ó Senhor, arrasta essa gente como ovelhas para o matadouro; separa-os para o dia da matança.” (Jeremias 12.1-3).

O último versículo retrata bem o que entendemos por justiça – algo imediato, olho por olho, dente por dente. O que entendemos por justiça é diferente da justiça de Deus. Somos limitados, nossa visão tem curto alcance, enquanto Deus enxerga lá na frente, tem um propósito maior para a menor das situações.

Caim matou Abel, seu próprio irmão. Se você o encontrasse pelo caminho era bem capaz de matá-lo para vingar Abel, afinal de contas, o que Abel fez para merecer a morte? Ele só fez o bem, entregou uma oferta que agradou a Deus (Gênesis 4), enquanto Caim entregou qualquer coisa, apenas para cumprir tabela. Mas no versículo 15 vemos que Deus protegeu Caim, colocando nele um sinal para que ninguém o matasse. Você pode pensar que Deus foi injusto protegendo um assassino, mas Ele é misericordioso e queria dar a Caim a chance de acertar, de agir corretamente. Ele fez o mesmo com Moisés, Davi e Saulo – os conhecemos como os grandes homens da bíblia, mas os três foram assassinos e no entanto alcançaram a misericórdia de Deus, ganharam uma nova chance e se tornaram grandes exemplos para nós.

Ao contrário da nossa, a justiça de Deus está cheia de amor e visa um bem maior.

“Feliz é aquele a quem Deus corrige! Por isso, não despreze o castigo do Deus Todo-Poderoso. Deus fere, mas ele mesmo faz o curativo; ele machuca, mas as suas mãos curam.” Jó 5.17-18.

Pode confiar que “o Senhor é justo em todos os seus caminhos e é bondoso em tudo o que faz” (Salmo 145.17). Não espere que Ele faça do seu jeito, pois até o dia do juízo final, todos terão uma nova chance, inclusive eu e você (graças a Deus!).

Lembre-se: “a ira do homem não produz a justiça de Deus” (Tiago 1.20).

Aline Cândido