Escolha uma Página
Há duas semanas estava orando por um assunto pedindo a Deus solução e veio ao meu coração a determinação de que deveria jejuar por aquilo. Comecei o jejum imediatamente, me abstendo do alimento que mais como com prazer: chocolate. Não determinei o tempo do jejum, mas hoje ao ler sobre a quaresma (tempo de preparação até a Páscoa) decidi que entregarei meu jejum a Deus no domingo de Páscoa.
40 dias foi o tempo que Jesus passou no deserto antes de começar seu ministério. 40 dias foi o tempo que durou o dilúvio antes que um novo mundo começasse com a família de Noé. 40 anos foi o tempo que os judeus peregrinaram pelo deserto antes de chegarem a terra prometida. O número 40 na bíblia vem sempre antes de algum acontecimento importante, um recomeço. Por isso a igreja instituiu a quaresma como o tempo de preparação antes da Páscoa, ressurreição de Jesus.
Para os cristãos esse deve ser um período de reflexão, tempo de alinhar os pontos, de buscar a Deus e o jejum é uma das disciplinas utilizadas nesse período.
O jejum não é uma dieta nem greve de fome. É a abstenção de alimento com finalidades espirituais. E o objetivo central deve ser sempre Deus.
O jejum também revela o que nos controla. Cobrimos com alimento e com outras coisas boas aquilo que está dentro de nós, mas quando jejuamos estas coisas vêm à tona. E isso é bom porque só o que é revelado pode ser tratado.

Posso fazer qualquer coisa, mas não vou deixar que nada me escravize. (1Coríntios 6.12).

O jejum centrado em Deus nos dá equilíbrio, nos aproxima do Senhor, nos fortalece, nos devolve a humildade e a dependência de Deus. Tempo bom, tempo abençoado.
Que esse tempo de consagração não seja para nós religiosidade e obrigação, mas que seja uma oportunidade para diminuir o passo e se concentrar no que realmente é importante.
Eu te convido a jejuar nesses 40 dias até a Páscoa. Vamos juntos?
Aline Cândido
Leia mais:
– Livro Celebração da Disciplina – Richard J. Foster
– http://blogdaana.diantedotrono.com/2011/03/08/40-dias-de-consagracao/