Escolha uma Página
Gostei do texto e resolvi divulgar aqui no Verbo!

Pediram para pensarmos nos nossos próximos 20 anos e respondermos: O que eu quero fazer? Todos os tipos de metas. Admiráveis, algumas questionáveis, outras loucas ou estúpidas.

Sem querer parecer crítico desnecessariamente, penso que pediram para respondermos a pergunta errada. O que queremos fazer não é nem de perto tão importante quanto aquilo que queremos ser… é possível fazer um monte de coisas sendo zero como pessoa.

Fazer é normalmente ligado com uma vocação ou carreira; é o que vamos fazer da vida. Ser é muito mais profundo e está relacionado ao caráter, quem nós somos e como levamos a vida… no final das contas, ser se distancia do fazer porque você pode levar metade da sua vida tentando aperfeiçoar o seu ser, mas vale a pena. Ser é muito mais valioso, eterno e inspirador.

Lembra-se daquelas palavras familiares de Colossenses 3? Duas vezes podemos ler: “Tudo que fizerem… (v17,23). É quase como se o Senhor estivesse dizendo: “Não faz diferença o que seja, tudo o que fizerem…”. Mas, então, Ele imediatamente cita coisas que têm a ver com o ser, tais como ser grato, atencioso, obediente, sincero e diligente. O mesmo padrão. Deus enfatiza ser mais do que fazer.

Deste modo, você está dando importância às coisas que realmente contam? É útil perguntar: O que você quer fazer? Mas enquanto você estiver seguindo por esse caminho, olhe profundamente para seu interior. Faça perguntas difíceis, como: O que eu quero ser?

Crescendo nas estações da vida – Dr. Charles Swindoll
Fonte: rpv-br.blogspot.com