Escolha uma Página

 

 

Depois de dizer isso, Jesus foi adiante, subindo para Jerusalém. Ao aproximar-se de Betfagé e de Betânia, no monte chamado das Oliveiras, enviou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: “Vão ao povoado que está adiante e, ao entrarem, encontrarão um jumentinho amarrado, no qual ninguém jamais montou. Desamarrem-no e tragam-no aqui. Se alguém lhes perguntar: ‘Por que o estão desamarrando? ’ digam-lhe: ‘O Senhor precisa dele’ “.
Os que tinham sido enviados foram e encontraram o animal exatamente como ele lhes tinha dito […] Levaram-no a Jesus, lançaram seus mantos sobre o jumentinho e fizeram que Jesus montasse nele. Enquanto ele prosseguia, o povo estendia os seus mantos pelo caminho.
Quando ele já estava perto da descida do monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos começou a louvar a Deus alegremente, em alta voz, por todos os milagres que tinham visto. Exclamavam: “Bendito é o rei que vem em nome do Senhor! ” “Paz no céu e glória nas alturas! “
Alguns dos fariseus que estavam no meio da multidão disseram a Jesus: “Mestre, repreende os teus discípulos! “Eu lhes digo”, respondeu ele, “se eles se calarem, as pedras clamarão”.
Quando se aproximou e viu a cidade, Jesus chorou sobre ela e disse: “Se você compreendesse neste dia, sim, você também, o que traz a paz! Mas agora isso está oculto aos seus olhos. Virão dias em que os seus inimigos construirão trincheiras contra você, e a rodearão e a cercarão de todos os lados. Também a lançarão por terra, você e os seus filhos. Não deixarão pedra sobre pedra, porque você não reconheceu o tempo em que Deus a visitaria”.

(Lucas 19:28-44)

O grande barato de ler a bíblia é prestar atenção nos detalhes da passagem lida. Aliás, essa é a graça de viver, ir a um parque e prestar atenção nos detalhes, na formiga que carrega uma folha, na criança que está aprendendo a andar, no senhor que está sentado no banco tomando sol, naquela árvore e o tipo de folha que ela tem…

Enfim, cada detalhe dessa passagem de Lucas tem uma razão, nada aconteceu por acaso. Jesus tinha TUDO sob controle e tudo aconteceu exatamente como deveria.

Essa passagem descreve a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Jesus deu todos os sinais esperados, cumpriu profecias, mas mesmo assim nem todos o reconheceram como Rei. Ele não entrou em Jerusalém pela porta do fundo, quieto, imperceptível. E é assim na nossa vida também. Uma vez que o convidamos para entrar na nossa vida, ele não vai ficar omisso, quieto, esquecido num canto. Não dá para querer Jesus apenas como um super-herói (que você chama na hora do apuro) ou um consultor espiritual que diz coisas belas. Jesus não quer ser apenas admirado por nós. Ele quer ser Rei e Senhor da nossa vida.

Alguns dias antes de entrar em Jerusalém Jesus tinha ressuscitado Lázaro. O homem estava morto há 4 dias e Jesus fez um grande milagre. A notícia se espalhou rapidamente e muitos começaram a segui-lo depois disso. Os novos discípulos engrossaram o coro dos que clamavam em Jerusalém “Bendito é o rei que vem em nome do Senhor!”.

Era tempo de festa (os judeus participavam das cerimônias de purificação antes da Páscoa), a cidade estava cheia. Uma multidão de discípulos o recebeu e estendeu as vestes para ele passar. Cá pra nós, hoje em dia temos muitas roupas, mas naquele tempo as pessoas tinham apenas um manto. Estender esse manto para alguém passar por cima era sinal de muita honra. É o equivalente ao “tapete vermelho” dos nossos tempos.

Jesus poderia ter entrado em Jerusalém montado num grande cavalo branco, mas preferiu um burrinho, cumprindo assim a promessa de Zacarias 9.9:

Alegre-se muito, cidade de Sião! Exulte, Jerusalém! Eis que o seu rei vem a você, justo e vitorioso, humilde e montado num jumento, um jumentinho, cria de jumenta.

Jesus é Rei. Um rei humilde, servo, manso e bondoso, mas que sabe exatamente sua posição.

Jesus não é aquilo que as pessoas querem, mas é exatamente aquilo que elas precisam. Ninguém pode mudar a sua natureza e o fato dele ser Rei. Ele mesmo disse que “se o povo se calasse, as pedras clamariam”.

Na Bíblia temos duas passagens em que Jesus chorou. Uma delas foi quando soube que Lázaro, seu amigo, estava morto. E a outra vez foi em Jerusalém, como relatado em Lucas 19.41.

Ele chorou porque muitas pessoas não iam reconhecer a salvação e a paz que Ele estava trazendo. Os judeus sabiam e esperavam o Messias há anos, mas eles queriam alguém diferente. Alguém que trouxesse uma “salvação política”. Eles achavam que precisavam disso, não sabiam que a salvação espiritual que Jesus trazia era muito mais importante e única.

Nós temos essa mania de achar que sabemos o que precisamos. Quantas vezes você voltou do médico com uma receita e decidiu não seguir exatamente aquilo que o doutor falou?
Os judeus tinham uma visão de como o Messias deveria ser e ficaram cegos. Não receberam o maior presente que poderiam ter na vida! Eles perderam porque tinham expectativas diferentes.

Qual é a nossa expectativa sobre Jesus? O que você espera dele? Pense um pouco.
Será que Jesus é apenas aquele que veio para consertar coisas? Consertar sua saúde, seu emprego, sua família…

Fomos separados de Deus por causa do pecado. Jesus, o Humilde Rei, veio a Terra para morrer por nós, para que enfim pudéssemos nos unir a Deus novamente. Acho que isso é muito mais do que apenas consertar coisas.

Quero muito que minhas expectativas sobre Jesus não sejam limitadas. Que eu e você possamos abrir as portas da nossa vida para Jesus reinar de verdade. É tudo ou nada. Que seja tudo então!

Aline Cândido