Escolha uma Página

 

Outro dia eu estava conversando com a vizinha e no meio da conversa surgiu o assunto “Deus”. Ela prontamente me disse em tom colérico: “Eu não quero falar sobre Deus!”. 

Isso já aconteceu com você?

Vivemos num tempo em que muitas pessoas, apesar de não terem nenhum relacionamento com Deus, não querem nem tocar no assunto! Esse fenônemo está sendo chamado de Neo-ateísmo ou Novo ateísmo. Essa corrente é mais radicalmente contra os religiosos, colocam em xeque a existência de divindades e acreditam em um mundo melhor sem crenças (peguei a definição emprestada da Wikipedia). Você conhece alguém assim? Pessoas que rejeitam a IDEIA de terem a autoridade de Deus sobre suas vidas?
Jesus ensinava as pessoas por meio de parábolas. Veja essa passagem de Lucas 20.9-19:
“Então Jesus passou a contar ao povo esta parábola: “Certo homem plantou uma vinha, arrendou-a a alguns lavradores e ausentou-se por longo tempo. Na época da colheita, ele enviou um servo aos lavradores, para que lhe entregassem parte do fruto da vinha. Mas os lavradores o espancaram e o mandaram embora de mãos vazias. Ele mandou outro servo, mas a esse também espancaram e o trataram de maneira humilhante, mandando-o embora de mãos vazias. Enviou ainda um terceiro, e eles o feriram e o expulsaram da vinha.
“Então o proprietário da vinha disse: ‘Que farei? Mandarei meu filho amado; quem sabe o respeitarão’.
“Mas quando os lavradores o viram, combinaram entre si dizendo: ‘Este é o herdeiro. Vamos matá-lo, e a herança será nossa’. Assim, lançaram-no fora da vinha e o mataram. “O que lhes fará então o dono da vinha? Virá, matará aqueles lavradores e dará a vinha a outros”. Quando o povo ouviu isso, disse: “Que isso nunca aconteça! “
Jesus olhou fixamente para eles e perguntou: “Então, qual é o significado do que está escrito? ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular’. Todo o que cair sobre esta pedra será despedaçado, e aquele sobre quem ela cair será reduzido a pó”. Os mestres da lei e os chefes dos sacerdotes procuravam uma forma de prendê-lo imediatamente, pois perceberam que era contra eles que ele havia contado essa parábola. Todavia tinham medo do povo.”
Lucas 20:9-19
Essa parábola é fácil de entender. A vinha é Israel (ou o mundo daquele tempo), o dono é Deus, os servos são os profetas, os lavradores são os líderes religiosos e o filho do dono é Jesus.
Ao longo da história, Deus enviou muitos profetas a Israel, e eles foram rejeitados pelo povo (em alguns casos até mortos por anunciarem a vinda do Messias). Foi assim com Moisés, Elias, Zacarias, Jeremias e Estevão. Há um histórico de rejeição à autoridade de Deus.
Pense na sua vida e lembre alguma situação em que foi rejeitado. Qual foi sua reação? Eu confesso que quando fui rejeitada minha primeira reação foi me afastar totalmente da pessoa ou da situação. Mas como será que Deus responde a essa atitude das pessoas de rejeitarem sua autoridade?
Deus responde com amor e paciência. Ele nunca desiste! Na parábola diz que o dono da vinha enviou um servo, depois outro e ainda enviou um terceiro! E mesmo depois dos lavradores terem maltratado, ferido, espancado e mandado embora os servos (profetas), Deus ainda enviou seu filho (Jesus).
Mas o homem por natureza quer ser dono da própria vida, não quer obedecer a Deus; quer ser Deus.
Responda a uma pergunta: Quem manda na sua casa? Seu pai, sua mãe? O marido ou a esposa? A resposta de todo cristão deveria ser: “quem manda na minha casa é Deus”.
Se temos uma conduta de vida correta, podemos ter a falsa impressão de que não precisamos de Deus. Pensamos: “esse é o meu tempo, essa é a minha vida, eu decido”.
Porém nos despedaçamos sobre a pedra e somos reduzidos a pó, por sermos proprietários teimosos da própria vida, ao invés de sermos servos, obedientes e submetidos a autoridade de Deus.
E a pergunta que me vêem a mente é a mesma de um texto recente que escrevi no Verbo: “Ele é rei ou não é?”. Quem realmente manda na minha vida? E na sua?
Aline Cândido