Escolha uma Página

Certo homem parou num posto de gasolina para calibrar os pneus do carro. Próximo ao aparelho de calibragem estava um jovem com esposa e filho tentando calibrar um dos pneus do próprio carro. Ele tentou várias vezes mas não conseguia, alguma coisa estava errada.

O homem observou aquela situação e poderia ter reagido de várias formas. Poderia ter ficado nervoso com a demora em liberar o aparelho de calibragem. Poderia ter reclamado ou chamado um funcionário do posto pra tentar resolver o problema. Mas ele fez diferente: se aproximou do jovem e ofereceu ajuda. Descobriu que na verdade o pneu estava furado e portanto não encheria mesmo. Detectado o problema ele poderia ter ido embora, mas além de emprestar suas próprias ferramentas, ainda trocou o pneu para o jovem.

Essa história parece uma versão moderna da parábola do Bom samaritano mas não é. Ela é verdadeira, o homem da história é um amigo meu.

Pra mim essa história exemplifica 1João 4.12: “Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós.

Não vemos Deus fisicamente, mas o reconhecemos nas pessoas quando elas agem com amor. E amor, eu aprendi, não é um sentimento ou uma emoção. Amor é fazer pelo outro aquilo que ele precisa, seja um carinho, uma “bronca”, companhia, doação ou até mesmo trocar o pneu para um desconhecido.

Somente quem tem Deus no coração tem amor pelo próximo. E conforme exercitamos esse amor ele vai sendo aperfeiçoado em nós.

Aline Cândido