Escolha uma Página

Cleopas e seu amigo iam caminhando em direção à Emaús, como num dia comum. Cabisbaixos, tristes, iam conversando sobre o que tinha acontecido dias atrás. Depois de 400 anos de silêncio Deus tinha voltado a falar com seu povo por meio de Jesus.

“Ele era um profeta, poderoso em palavras e em obras, diante do povo e diante de Deus”, comentou Cleopas. “Ele era a nossa esperança! Ficamos felizes porque Deus finalmente tinha respondido as nossas orações e enviado o Messias. Tudo iria se resolver! Mas de repente, aconteceu o pior! Os sacerdotes e as autoridades o entregaram para ser preso e crucificado! Tudo acabou. Ele era a redenção de Israel… Pelo menos era isso o que nós pensávamos. Agora já não vemos saída.”
Os olhos daqueles dois homens estavam tão voltados para o problema que nem perceberam que o próprio Jesus caminhava lado a lado com eles. E mesmo Jesus conversando com eles, não o reconheceram. Andaram por 11 km, tristes, desiludidos, sem esperança, mas o próprio Deus caminhava com eles, não estavam sozinhos! Ao contrário do que pensavam, Deus não tinha esquecido de Israel.

Jesus estava bem ali mas não o reconheceram! Somente quando sentaram à mesa com Ele e comeram juntos (comunhão) é que seus olhos foram abertos, e reconheceram que aquele era Jesus! Sim, era verdade! Ele tinha ressuscitado!

Deus tinha dado a solução completa para seus problemas, mas a solução não veio como esperavam. Jesus não seria apenas o rei de Israel para vencer inimigos. Jesus veio, morreu e ressuscitou para vencer a morte, a maior inimiga do homem, aquilo que o separa de Deus!

A notícia era tão boa que os dois voltaram imediatamente para Jerusalém para contar aos demais discípulos (mais 11 km de caminhada).

Cristo está vivo e continua sendo poderoso em palavras e ações na minha e na sua vida. E mesmo que durante a caminhada, por alguns momentos, eu me sinta sozinha, o próprio Jesus me faz companhia.

Num dia desses, enquanto estiver caminhando, deixe de olhar para os problemas e ouça a voz de Jesus (ele está bem aí do seu lado). Aleluia!

Aline Cândido

—-

A caminho de Emaús – Lucas 24.13-25
Naquele mesmo dia, dois deles estavam indo para um povoado chamado Emaús, a onze quilômetros de Jerusalém.  No caminho, conversavam a respeito de tudo o que havia acontecido.  Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles;  mas os olhos deles foram impedidos de reconhecê-lo.  Ele lhes perguntou: “Sobre o que vocês estão discutindo enquanto caminham? ” Eles pararam, com os rostos entristecidos.  Um deles, chamado Cleopas, perguntou-lhe: “Você é o único visitante em Jerusalém que não sabe das coisas que ali aconteceram nestes dias? ”  “Que coisas? “, perguntou ele. “O que aconteceu com Jesus de Nazaré”, responderam eles. “Ele era um profeta, poderoso em palavras e em obras diante de Deus e de todo o povo.  Os chefes dos sacerdotes e as nossas autoridades o entregaram para ser condenado à morte, e o crucificaram;  e nós esperávamos que era ele que ia trazer a redenção a Israel. E hoje é o terceiro dia desde que tudo isso aconteceu.  Algumas das mulheres entre nós nos deram um susto hoje. Foram de manhã bem cedo ao sepulcro  e não acharam o corpo dele. Voltaram e nos contaram que tinham tido uma visão de anjos, que disseram que ele está vivo.  Alguns dos nossos companheiros foram ao sepulcro e encontraram tudo exatamente como as mulheres tinham dito, mas não o viram”.  Ele lhes disse: “Como vocês custam a entender e como demoram a crer em tudo o que os profetas falaram!  Não devia o Cristo sofrer estas coisas, para entrar na sua glória? ”  E começando por Moisés e todos os profetas, explicou-lhes o que constava a respeito dele em todas as Escrituras.  Ao se aproximarem do povoado para o qual estavam indo, Jesus fez como quem ia mais adiante.  Mas eles insistiram muito com ele: “Fique conosco, pois a noite já vem; o dia já está quase findando”. Então, ele entrou para ficar com eles.  Quando estava à mesa com eles, tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu a eles.  Então os olhos deles foram abertos e o reconheceram, e ele desapareceu da vista deles.  Perguntaram-se um ao outro: “Não estavam ardendo os nossos corações dentro de nós, enquanto ele nos falava no caminho e nos expunha as Escrituras? ”  Levantaram-se e voltaram imediatamente para Jesuralém. Ali encontraram os Onze e os que estavam com eles reunidos,  que diziam: “É verdade! O Senhor ressuscitou e apareceu a Simão! ”  Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho, e como Jesus fora reconhecido por eles quando partia o pão.