Escolha uma Página

O 2º dia tinha sido bem puxado então para que ninguém desistisse da viagem mudei um pouco o roteiro do 3º dia. Começamos com um passeio de barco pelo Regent’s Canal. Reservamos antecipadamente pela internet e pagamos na hora (é bom reservar porque o passeio é bem procurado).
Caminhamos do hotel até Little Venice (que é de onde saem os barcos da Jason’s Trip em direção a Candem Town).

De Paddington a Little Venice, uma paradinha pra uma foto.

Esse é o nosso barco

No trecho inicial do canal vemos vários barcos-moradia. Sim, as pessoas moram nos barcos! Alguns barcos são comerciais; tem floricultura, museu, mercado, café…

Elas tinham acbado de acordar e estavam tomando café no seu “quintal flutuante”.

Em um dos trechos o barco passa por um túnel.

Antes de morrer eu… quero conhecer o mundo inteiro! 🙂

O barco continua pelo Regent’s Canal e passa por dentro do Regent’s Park. Avistamos algumas mansões que ficam dentro do parque, entre elas a do embaixador dos EUA.

Passamos pelo meio do London Zoo, o zoológico de Londres, que fica dentro do Regent’s Park. Do canal é possível ver o viveiro dos pássaros e as hienas no lado oposto.

Esse passeio também pode ser feito a pé ou de bicicleta beirando o canal. Tinha bastante gente caminhando por lá.

Depois de 3,5 km chegamos a Candem Town.

Camden Town: aqui tem de um tudo um pouco, tudo junto e misturado. Talvez seja o bairro mais alternativo, exótico e liberal de Londres. Como diz um site, em Camden é comum cabelos manchados, piercings em lugares inusitados e tatuagens por todo o corpo. O estranho aqui é você.

Saindo do barco entramos numa espécie de feira gastronômica com as mais diversas comidas.

Essa é da Polônia

“O que é isso?”, eu perguntei e esse rapazinho simpático respondeu: “O que parece ser? Salada, oras…” Dã

Comida da Galícia – polvo, lula e peixe

Tinha que ter um brasileirinho no meio né? Churros com Guaraná Antarctica

LPs

As barraquinhas se estendem por becos e ruelas sem fim

Além das barracas, tem comércio na rua toda.

Pirulito de maconha

A Malu deu um piti básico e acabamos não ficando muito tempo em Camden Town (queria tanto explorar as lojinhas!). De lá voltamos a pé pelo canal em direção ao London Zoo, que fica ali perto.

Restaurante chinês flutuante

Regent’s Canal

Pronto! Agora sim o dia começou para a Malu! Chegamos no London Zoo! Esse seria o dia mais divertido pra ela (e talvez o mais cansativo pra mim!).

O London Zoo é o mais antigo zoológico científico do mundo, inaugurado em 1828.

Cadê a cabeça da tortuguita?

Parece de mentira né?

São 14 hectares de terra (haja perna!) e tudo é muito bonito e bem conservado.
Tenta-se reproduzir ao máximo o habitat de cada animal, então encontramos áreas bem diferentes dentro do mesmo zoológico.

Canguru bem pertinho da Malu
 
Não dê um mapa na mão de uma criança decidida ou terá pernas bambas no final do dia!
Além dos animais, esse zoológico possui áreas recreativas para as crianças, como parquinhos, brinquedos e até fontes de água (e não é que tinha um monte de criança tomando banho nas fontes? Hello, isso aqui não é verão não gente… vai lá pro Brasil que eu te explico).

Intercâmbio cultural

Sente a alegria da criança

Nesse brinquedo dá pra pular de galho em galho feito um macaco

Nessa área do parque ficamos a pé, no mesmo ambiente dos macacos. É como um Simba Safari sem carro. rs

Essa é a praia dos pinguins. Dizem que eles fazem acrobacias diante do público, mas não esperamos a hora do show.

Mais parquinhos

Do zoológico dá pra ver uma outra área do Regent’s Park, onde fica o London Zoo.
Depois de animais, parquinhos, sorvetes e afins, saímos do zoológico e caminhamos até a Abbey Road… era a vez de outra criança ficar feliz!

Sabe aquela foto famosa dos Beatles atravessando uma rua que foi capa de um disco? Então… foi clicada aqui, bem pertinho do Abbey Road Studios, que continua lá.

No portão da Abbey Road Studios um aviso: não entre! Mas tirar foto pode né?!
Muitas e muitas homenagens no muro do Estúdio

E claro, muita gente atravessando a famosa faixa.

Em Londres quando não tem semáforo, tem faixa de pedestre pintada no chão e aí os carros são obrigados a parar. Mas nem todos tem paciência com as dezenas de turistas posando pra foto. Alguns carros param, outros buzinam, e alguns xingam, em inglês claro.

Mais de 50 fotos pra conseguir um click do meu pai sozinho na faixa! 

E aí é claro que eu tinha que fazer a montagem…
O quinto Beatle

Meu pai atravessava pra lá e pra cá. Eu corria entre os carros para me posicionar no mesmo ângulo da foto original (sim, meu pai é bem exigente). Enquanto eu gritava “vai pai, agora, agora, agora!”  tentava também não ser atropelada (já ocorreram atropelamentos de turistas na Abbey Road).
E do outro lado da calçada minha mãe sentada descansando, rindo da gente e cuidando da Malu que roncava no carrinho… aliás, isso é um carrinho ou um cabideiro?

Até o bonequinho da placa imita os Beatles.

Foi no caminho para a Abbey Road que minha mãe também ficou de sorriso aberto… afinal, ela foi ao supermercado! kkkkk Ela adora ir ao supermercado, seja onde for! E Londres está cheio desses mini mercados, como o Tesco Express.

Vou aproveitar esse post pra falar mais duas coisas sobre Londres.
Da próxima vez (se é que vai ter outra) quero conhecer Londres de bike. A cidade é plana e por todo canto é possível alugar bicicletas na rua. Você pega num ponto e devolve em outro. Diz o André, nosso taxista brasileiro, que os carros e as bicicletas convivem bem.
Alugar uma bike pode ser muito útil para conhecer os grandes parques de Londres. Eles são enormes… impossível conhecê-los por inteiro somente andando a pé.

A outra coisa que quero falar é sobre lixo. Senti falta de latas de lixo na cidade. Em alguns bairros de São Paulo vemos uma a cada poste! Em Londres não tem muitas, mas o cúmulo do absurdo foi quando, dentro da estação de metrô King’s Cross, eu comi uma banana e procurei por um lixo para jogar a casca. Me aproximei de um funcionário do metrô e perguntei onde era o lixo mais próximo. Ele respondeu: “não tem latas de lixo dentro da estação, só lá fora, na rua. Joga aí mesmo, em qualquer canto.” 
Oi?! “Jogar no chão?”, eu perguntei. Ele: “sim… joga no chão em qualquer canto”. Ok… mandou eu obedeci, mas não me conformo até agora de ter que jogar lixo no chão.
Pensei que talvez não tivessem latas de lixo nas estações por questões de segurança, pra ninguém esconder uma bomba, etc… Mas em outras estações haviam lixos… fiquei sem entender! 
O pessoal deixa lixo em qualquer lugar… dentro do trem, dentro do elevador… que horror! Aliás, toda hora a Malu me falava quando via lixo fora do lixo. “Em Londres tem muitos porquinhos”, ela disse.
Jason’s Trip
http://www.jasons.co.uk/booking.php