Escolha uma Página

Tchau São Francisco! Vamos dar um pulinho ali no Yosemite Park!

Essa é a Bay Bridge, ponte que liga São Francisco a Oakland
O tráfego é dividido. Aqui estamos passando na parte debaixo da ponte.

Pegamos a estrada em direção ao Yosemite Park. A ideia inicial era fazer um bate-e-volta de São Francisco até lá, mas ainda bem que nos planejamos para dormir numa cidade mais próxima na volta (Sonora), porque a viagem é longa!


Contando com as paradas para “xixi, café e chiclete”, acho que levamos 5 horas pra chegar até uma das entradas do Yosemite Park. Entramos pela Groveland-Big Oak Flat Entrance.

A entrada custou US$ 30,00 por carro.

Bom, finalmente chegamos! Que legal! Cansados da viagem, mas super dispostos a explorar o parque, paramos no Centro de Informações que tem logo na entrada. Uma das funcionárias foi super atenciosa conosco, nos deu um mapa e nos indicou a melhor programação levando em conta o tempo disponível e também a companhia da Malu, que a essa altura, já estava um pouco irritada de ficar no carro. A moça percebeu e deu de presente pra ela um equipamento de “Exploradora”: uma espécie de apito, com bússola, lente de aumento, lanterna e porta treco! 😀

O parque é gigantesco. Da entrada até o centro onde se concentram algumas atrações, hotéis e restaurantes (Yosemite Valley), são mais 40 km de estrada!
Nossa primeira parada foi na Tuolumne Grove, que era a atração mais próxima recomendada pela funcionária do parque. Estacionamos e pegamos uma trilha a pé de aproximadamente 30 minutos (ida), para ver algumas árvores gigantes, as Sequoias.

Pra chegar até as sequoias foram 30 minutos de descida. Mas no total a trilha tem 4 km e o tempo total de caminhada varia entre 1 e 2 horas. Na volta, elevação de 150 metros com Maluzita no cangote! Haja fôlego!

O tronco de uma sequoia pode chegar a 8 metros de diâmetro (!) e essas árvores podem viver mais de 2000 anos (!!). É impressionante, não é mesmo!? Os adultos mais resistentes vivem 100 anos… isto é, 5% do tempo de vida que uma Sequoia pode ter!

Túnel de uma Sequoia morta.
“O gigante caído” é como é chamada essa árvore – tão grande que não cabe numa foto só.
Nós em cima do Gigante!
Abraço
“Esse é o papai, essa é a mamãe e essa pinha pequenininha sou eu!” <3 nbsp="" p="">

Saímos da Tuolumne e pegamos a estrada até o Yosemite Valley. No caminho as paisagens vão se descortinando aos poucos e de repente você sente a boca seca e a baba escorrendo. Que visual lindo, meu Deus!
É clichê dizer, mas as fotos não conseguem revelar o que é o Yosemite Park ao vivo. É in-crí-vel!

 

Esse é um guarda-comida. 

Se vai acampar no Yosemite, nunca deixe comida no carro, ainda que seja dentro do porta-malas (a não ser que queira um urso de companhia nas refeições!). São tantos avisos espalhados pelo parque que realmente a coisa deve ser séria!


Câmera na mão, vem coisas lindas por aí!

E de repente a gente faz a curva e dá de cara com o Half Dome ao fundo – um paredão de granito. 

Half Dome ao fundo

Half Dome
O Half Dome é visto de várias partes do parque. Diz a lenda dos índios americanos que uma mulher e seu marido discutiram e lutaram. Os espíritos descontentes transformaram-nos em pedras – Half Dome e North Dome, para olharem pra sempre um para o outro pelo vale.

Como esses paredões se formaram é uma incógnita. Os geólogos pensam que os paredões de granito do Yosemite foram solidificados por cerca de 8 km para baixo do solo. Como ocorreu erosão nas demais rochas ao redor, os paredões de granito ficaram expostos como os vemos hoje.

Não sei como foi, só sei que é lindo, grande e que de certa forma, admirar essas paisagens, nos aproxima de Deus, o Criador.

Paisagens lindas

Esse paredão na foto abaixo é o El Capitain.
Juro, quase bati continência pro Capitão aí. Alto, imponente, ereto, poderoso… e eu uma formiguinha perto dele.

El Capitain

Demos uma volta pelo centro do parque – existe um micro-ônibus que faz um trajeto circular pelo Yosemite Valley. É um lugar incrível para passar uns dias, acampando, caminhando nas trilhas, se divertindo com a família ou entre amigos… mas por ora temos apenas algumas horas aqui, então decidimos fazer um picnic (rápido – para minimizar a possibilidade de ver ursos de perto!).

Escolhemos uma trilha próxima ao Nature Center at Happy Isles. Deu até pra pôr o pé na água geladésima do rio, que nessa época do ano (agosto) está bem vazio.

Mais pedra do que rio nessa época do ano
Cenário do nosso picnic

Pés congelando na água cristalina do rio.
A beleza do Yosemite está nas grandes e nas pequenas coisas
Esse foi nosso passeio pelo Yosemite, mas há muito, muito, muuuuuito mais para ver. Quem sabe voltamos quando a Malu for maior e puder fazer as trilhas com as próprias pernas… rs

Em tempo: não vimos nenhum urso além dos que estampavam os cartazes de aviso, mas vimos esquilos! 😀